segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Espero que vire conto erótico

Alto, cabelo médio preto, branco, aparentando ter seus vinte e poucos anos e um sotaque de fora de algum lugar que ainda não associei. Logo que conheci o Matheus na primeira consulta previ que não seria fácil manter a postura com um dentista daqueles. Claro que eu fico todo tímido e sem jeito. A primeira coisa que ele me perguntou no seu consultório foi "Quais são as novidades?" eu todo distraído respondi "Nada de novo.". Ele riu e esclareceu "Eu queria saber o motivo da consulta.". Ele é super atencioso e tento não olhar nos olhos dele enquanto tô naquela poltrona, mas ai percebo que o peito dele está encostando em minha cabeça e eu começo a sorrir por dentro. Hoje, logo que cheguei no consultório ele tava de bobeira na recepção e me cumprimentou com uma piscada enquanto eu me derretia no chão. Ele me pergunta "O que você quer fazer hoje?", penso duas vezes antes de responder e solto um "Você pode escolher" enquanto na minha mente eu murmuro que devia ter dito "O que você quiser". As vezes, enquanto tava sendo atendido, sentia sua respiração acelerar e eu acelerava a minha também instintivamente, em alguns momentos seu rosto se aproximava tanto do meu que eu me perguntava sera que é agora que ele tira essa mascara e me beija?


3 comentários:

  1. adoro esses romances de consultório, de ônibus e outros lugares improváveis...

    ResponderExcluir
  2. hhahahah eu tbm amigo, são os mais excitantes por menos provaveis que possam ser

    ResponderExcluir

Vais morder ou são só beijinhos?